2 de agosto de 2009

...

Quero rezar e chorar, arrepender-me de crimes que
não cometi... Um regaço para chorar, mas um regaço
enorme, sem forma, espaçoso como uma noite de
verão... Poder ali chorar coisas impensáveis, ternuras
de coisas inexistentes, e grandes dúvidas arrepiadas
de não sei que futuro... Um colo ou um berço ou um
braço quente em torno ao meu pescoço... Um extravio
morno da minha consciência... E depois sem som, um
sonho calmo num espaço enorme, com a lua rondando
entre estrelas...


( FERNANDO PESSOA )