19 de agosto de 2009

Não, não é por vaidade

Dói
Durante toda a madrugada
Pinçando as letras, juntando as palavras
Sendo vil comigo mesma(o), piorando tudo
Com medo de não conseguir, com medo
De ser tudo tolice, e é
Tudo tolice, tudo por essa estúpida carência de
Querer ser
Ser aquilo que disse que seria
Atrás dos elogios que não vieram
Quando ainda era tempo.