3 de agosto de 2009

O Vencedor está só

O Retrato
No momento em que termino de escrever estas páginas, existem
vários ditadores no poder. Um país do Oriente Médio foi
invadido pela única superpotência mundial. Os terroristas estão
ganhando cada vez mais adeptos. Os fundamentalistas cristãos
são capazes de eleger presidentes. A busca espiritual é manipulada
por várias seitas que alegam deter o “conhecimento absoluto”.
Cidades inteiras são riscadas do mapa pela fúria da natureza.
O poder do mundo inteiro está concentrado nas mãos de
seis mil pessoas, segundo pesquisa de um reputado intelectual
americano.
Existem milhares de prisioneiros de consciência em todos os
continentes. A tortura volta a ser tolerada como um método de
interrogatório. Os países ricos fecham suas fronteiras. Os países
pobres assistem a um êxodo sem precedentes de seus habitantes
em busca do Eldorado. Os genocídios continuam em pelo
menos dois países africanos. O sistema econômico dá mostras
de exaustão, e grandes fortunas começam a ruir. O trabalho escravo
infantil tornou-se uma constante. Centenas de milhões de
pessoas vivem abaixo da linha da pobreza absoluta. A proliferação
nuclear é aceita como irreversível. Surgem novas doenças.
Antigas doenças ainda não foram controladas.
Mas é este o retrato do mundo em que vivo?
Claro que não. Quando resolvi fotografar minha época, escrevi
este livro.
PAULO COELHO