16 de julho de 2011

Títulos nem sempre demonstram competência

Por Vanessa Pinheiro

Estudantes do Direito têm uma crença quase que inabalável de que já são doutores, esquecem, porém de que “Doutor é quem fez DOUTOURADO!”, li essa frase em um texto de um nobre jurista hoje pela manhã, e fiquei muito feliz por que ainda temos pessoas comprometidas com o conhecimento e o merecimento.
Claro, como estudantes, e aqui me refiro a estudantes de qualquer área, temos certo privilégio, privilégio este que faz com que as pessoas mais humildes digam “ele faz faculdade, sabia?!” e pensem que somos mais do que as pessoas leigas e simples. De fato, estudamos para isso, para termos uma melhor vida, conhecermos tudo o quanto pudermos sobre a área em que desejamos atuar, agora quanto a este estigma de somos de certa forma “soberanos” lhes digo sábio, honroso, são pessoas como meu pai, que trabalharam a vida inteirinha, estudaram pouquíssimo e ainda transmitiram á seus filhos essa paixão pelo saber, esta necessidade de aperfeiçoamento e acima de tudo o respeito pelas pessoas.Agora me digam que diabo faz com que um Bacharel recém formado (ou mesmo com anos de carreira) se auto-intitule Doutor? Doutor em que? Qual foi sua tese? Sinceramente, são poucos os profissionais que verdadeiramente são Doutores e á eles tiro meu chapéu! Agora, a esses profissionais pouco estruturados, com pouca ou nenhuma publicação, talvez com alguma especialização (o que é louvável), sem nenhuma pesquisa que colocam na porta de seus escritórios a placa com o dizer “Dr. Fulano de Tal, blá, blá, blá.”, a estes, bom, só posso esperar atitudes ignorantes, pois, além de ignorarem o fato de que não são Doutores ignoram a realidade de seu conhecimento.Inesquecíveis são as pessoas que têm noção do que sabem que não buscam status desmerecidos e humildemente repassam o conhecimento que adquiriram. Tive o prazer de conviver com pessoas assim, pessoas amáveis, pessoas experientes, pessoas sábias e sinceras. Ainda há esperança, há advogados honestos e comprometidos com a justiça, que lutam obstinadamente com integridade e retidão pelo justo. Há estudantes apaixonados pelo Direito, estudantes que buscam esperançosamente construir um futuro mais igualitário, pessoas que sabem que este ramo necessita de especialização, de qualificação e de estudo constante, um diploma não é suficiente, nem dois, três ou quatro, é um estudo que muitas vezes se faz em casa mesmo, onde ninguém te vê, onde seu nome não é mencionado a não ser exatamente pelo que você é nunca será suficiente um diploma de Bacharel, de Especialista, de Mestre e até mesmo de Doutor, se neles não contiver a paixão, o comprometimento e a humildade que te farão sempre buscar superar a si mesmo.Ficou claro aqui, que estudante de Direito não é Juiz, Promotor, Desembargador e nada do gênero, bem como, Advogado nem sempre é Doutor, Bacharel nem sempre é Advogado e o Doutor muito provavelmente seja uma pessoa completamente motivada e apaixonada por uma causa, isso merece respeito, não pelo título, mas pelo comprometimento. Sinto esse sentimento gostoso e apaixonante pela eterna busca pela justiça sei que o caminho será longo, mas também prazeroso como cada dia de estudante, que sempre serei. Este será meu mais importante título: ESTUDANTE!