12 de dezembro de 2011

A gente não precisa de certezas estáticas. A gente precisa é aprender a manha de saber se reinventar. 
De se tornar manhã novíssima depois de cada longa noite escura. A gente precisa é saber criar espaço, não importa o tamanho dos apertos.