22 de junho de 2013

"Pelo o que vamos às ruas afinal"

Postagem de Giovanna Dall'Agnol, Facebook. 22 de junho de 2013.

"Pelo que vamos às ruas afinal: manisfestar nossa indignação ou protestar nosso direitos? Queremos que o Gigante acorde, peça para baixar o volume da TV que o incomoda e volta a cair em sono profundo; ou queremos que ele levante, evolua e não volte mais a dormir?

Podemos fazer manifestos todas as coisas erradas que vemos em nosso país, podemos levantar vários pontos de indignação, de coisas que discordamos. Para isso servem manifestos, para gerar discussão.
Mas se queremos mudanças, não é de manifestos que precisamos, mas de protestos.

Manifestar o seu orgulho de ser brasileiro não vai mudar seu país. Ir às ruas e mostrar de uma vez só tudo o que está errado, não vai mudar seu país. Pedir o Impeachment do seu governante, para colocar outro igual ou pior, não vai mudar seu país, pense em como mudar o sistema. Vandalizar o patrimônio público ou particular, não vai mudar seu país. Manifestar sua indignação com a Copa do mundo, depois de mais de 5 anos da escolha dele como sede, não vai mudar seu país, ele já gastou o que não deveria com isso.

Protestos são claros, tem um objetivo, um foco, uma cronologia, uma proposta de mudança capaz de pressionar e fazer diferença, de forma gradativa, mas concisa. Se você quer ir às ruas, saiba pelo que você luta; se informe sobre o que você luta, para que não seja um simples manifesto de idéias; e saiba que lutar por tudo de uma só vez, não vai mudar seu país."