13 de novembro de 2013

10 fotografias que você vai duvidar que não sejam pinturas

Fotografia tão boas e tão realistas que mais parecem pinturas.
Este conjunto de casas no México foi captado por Oscar Ruiz, em uma viagem de helicóptero, quando trabalhava para uma emissora de rádio, captando o tráfego na Cidade do México. Pelo caminho, Ruiz encontrou este complexo que chamou sua atenção e e descobriu que se tratava do San Buenaventura, um bloco habitacional construído recentemente. Fica em Ixtapaluca, na periferia da capital mexicana.
Este conjunto de casas no México foi captado por Oscar Ruiz, em uma viagem de helicóptero, quando trabalhava para uma emissora de rádio, captando o tráfego na Cidade do México. Pelo caminho, Ruiz encontrou este complexo que chamou sua atenção e e descobriu que se tratava do San Buenaventura, um bloco habitacional construído recentemente. Fica em Ixtapaluca, na periferia da capital mexicana.
Esta obra é do fotógrafo Michael Brandt e foi tirada de um morro no vale de Palouse, em Washington, Estados Unidos. De frente para a montanha de Tekoa, este é um lugar conhecido por suas infinitas possibilidades fotográficas. As paisagens são incríveis e sempre em constante mudança, conforme as estações do ano. Entre o final de abril e o início de setembro, fotógrafos de todo o mundo fazem uma caminhada até ao lugar para captar a sua vista única.
Esta obra é do fotógrafo Michael Brandt e foi tirada de um morro no vale de Palouse, em Washington, Estados Unidos. De frente para a montanha de Tekoa, este é um lugar conhecido por suas infinitas possibilidades fotográficas. As paisagens são incríveis e sempre em constante mudança, conforme as estações do ano. Entre o final de abril e o início de setembro, fotógrafos de todo o mundo fazem uma caminhada até ao lugar para captar a sua vista única.
Uma fotografia aérea de tirar o fôlego, feita pelo fotógrafo Andre Ermolaev. Foi captada na Islândia, “um verdadeiro paraíso para os amantes da fotografia”, diz o próprio. Mas o mais surpreendente é a visão que se obtém dos rios que correm ao longo da areia preta vulcânica – “é uma combinação indescritível de cores, linhas e padrões”. A foto mostra um rio se encontrando com o oceano. É também visível um riacho amarelo que corre para o rio, mas não se mistura. As trilhas dos carros dão para ter uma ideia da escala, em uma imagem que parece tirada de outro mundo.
Uma fotografia aérea de tirar o fôlego, feita pelo fotógrafo Andre Ermolaev. Foi captada na Islândia, “um verdadeiro paraíso para os amantes da fotografia”, diz o próprio. Mas o mais surpreendente é a visão que se obtém dos rios que correm ao longo da areia preta vulcânica – “é uma combinação indescritível de cores, linhas e padrões”. A foto mostra um rio se encontrando com o oceano. É também visível um riacho amarelo que corre para o rio, mas não se mistura. As trilhas dos carros dão para ter uma ideia da escala, em uma imagem que parece tirada de outro mundo.
Essas dunas com árvores espalhadas ficam no Parque Nacional Lassen Volcanic, na Califórnia. “A vista, como pode ver, é como uma pintura a óleo. Tapeçaria de Deus na Terra”. A descrição é dos autores James e Kelly Stone e não deixa dúvidas.
Essas dunas com árvores espalhadas ficam no Parque Nacional Lassen Volcanic, na Califórnia. “A vista, como pode ver, é como uma pintura a óleo. Tapeçaria de Deus na Terra”. A descrição é dos autores James e Kelly Stone e não deixa dúvidas.
Este homem podia estar remando num lago de tinta (é o que parece, pelo menos), mas a verdade é que é uma fotografia real, tirada a um lago bastante poluído na província de Anhui, Taiwan (o verde é das algas). Apesar de tudo, o lago Chaohu está incluído num plano de limpeza de rios e lagos do governo local. A foto é de Jianan Yu.
Este homem podia estar remando num lago de tinta (é o que parece, pelo menos), mas a verdade é que é uma fotografia real, tirada a um lago bastante poluído na província de Anhui, Taiwan (o verde é das algas). Apesar de tudo, o lago Chaohu está incluído num plano de limpeza de rios e lagos do governo local. A foto é de Jianan Yu.
Mais uma que podia ser uma pintura chinesa. Não é: o fotógrafo Chaluntorn Preevasombat tirou-a na montanha de Huangshan, em Anhui, China. Chamou-lhe Clearing Storm.
Mais uma que podia ser uma pintura chinesa. Não é: o fotógrafo Chaluntorn Preevasombat tirou-a na montanha de Huangshan, em Anhui, China. Chamou-lhe Clearing Storm.
O mar permite sempre captar fotos incríveis, mas as de David Orias surpreendem pela variedade de cores, se parecendo com uma pintura a óleo. As fotos são captadas em longa exposição, na Califórnia, e as cores são mesmo reais.
O mar permite sempre captar fotos incríveis, mas as de David Orias surpreendem pela variedade de cores, se parecendo com uma pintura a óleo. As fotos são captadas em longa exposição, na Califórnia, e as cores são mesmo reais.
FotoPintura8
Esta vem do fotógrafo Denis Collette, apaixonado pelos efeitos criados pelos reflexos da água. Em uma série intitulada My Waterbox, ele reúne centenas de fotografias de reflexos e, garante, todas as imagens são únicas. “Os reflexos são geralmente de árvores, flores silvestres, ervas daninhas, vegetação selvagem, do céu ou das nuvens. Mas as fotos mudam dependendo do vento, da luz, do fluxo, do nível do rio, e por vezes, da profundidade do rio. Isso sempre me fascinou. As ondulações da água fazem [as fotos] parecer pinturas a óleo de Van Gogh, Turner, Riopelle ou Monet”.
Painted Ladies (Mulheres Pintadas) é o nome deste clique de Barbara Cole, fotógrafa autodidata e apaixonada por Polaroid desde a década de 80. Aqui captou 3 mulheres em poses sensuais e com vestidos em tons de arco-íris.
Painted Ladies (Mulheres Pintadas) é o nome deste clique de Barbara Cole, fotógrafa autodidata e apaixonada por Polaroid desde a década de 80. Aqui captou 3 mulheres em poses sensuais e com vestidos em tons de arco-íris.
Esta fotografia foi tirada na Namíbia e mostra uma duna tingida de laranja. O fotógrafo é Frans Lanting e explica: “ela foi tirada de madrugada, quando a luz quente do sol da manhã estava iluminando uma enorme duna de areia vermelha pontilhada com gramíneas brancas, enquanto o piso branco ainda estava na sombra. Parece azul porque reflete a cor do céu acima …. o momento perfeito veio quando o sol atingiu todo o caminho até ao fundo da duna de areia”.
Esta fotografia foi tirada na Namíbia e mostra uma duna tingida de laranja. O fotógrafo é Frans Lanting e explica: “ela foi tirada de madrugada, quando a luz quente do sol da manhã estava iluminando uma enorme duna de areia vermelha pontilhada com gramíneas brancas, enquanto o piso branco ainda estava na sombra. Parece azul porque reflete a cor do céu acima …. o momento perfeito veio quando o sol atingiu todo o caminho até ao fundo da duna de areia”.
A seleção é do site My Modern Met