5 de maio de 2014

O Estado também é responsável


Apresentadores fazem audiência e fortuna exibindo violência na TV e rádio. Reproduzem cenas de violência enquanto faturam, e muito.
Da mesma forma, num Estado que é laico, se permite que espaços midiáticos sejam ocupados para pregação de ódio religioso. Pregação que espalha ignorância e mais ódio.
Programas que exibem violência e ódio em estado bruto, a pretexto de combatê-los.
Programas que multiplicam a sensação de medo, de pânico diante da violência do cotidiano, que só faz aumentar.
"Bandido bom é bandido morto", segundo lema vigente.
Na política, na mídia, alguns pregam esse lema. São os hospedeiros da violência como solução para a violência. E para o próprio bolso.
A levar em conta a linguagem dessa gente, os que mataram a inocente Fabiane seriam todos... "bandidos".
O que será feito dos assassinos de Fabiane a se seguir ao pé da letra o lema "bandido bom é bandido morto"?