5 de junho de 2014

“Chamam de violento um rio quando ele transborda e arrasta o que existe nas cercanias, mas ninguém chama de violentas as margens que o aprisionam à séculos.”