7 de agosto de 2014

Escolha a calma para uma comunicação não violenta

Depoimento: Guilherme Carvalho
A campanha “Escolha a Calma” atinge uma parte importante do centro dos problemas da nossa sociedade. Com a nossa típica comunicação violenta no dia-a-dia, tendemos a ficar mais infelizes, mais improdutivos, mais frustrados e cada vez mais agressivos. Escolher a calma a cada dia, que eu traduziria para “praticar a comunicação não violenta” a cada dia, tem todo o potencial de melhorar o bem-estar geral. Precisamos escutar mais as pessoas, interessar-nos pelo que elas nos querem dizer, olhar atenciosamente para as necessidades e desejos de quem está ao nosso lado (e não apenas para as nossas próprias necessidades e desejos), olhar no olho do outro enquanto dialogamos, jamais “soltar indiretas”, e nunca pressupor que há maldade em qualquer ação do outro. Estes pequenos exercícios já representam um grande ganho de qualidade nos relacionamentos. Mais do que isso, expandir esta “prática da não-violência” para os nossos hábitos de consumo faz com que a calma e a paz cheguem mais longe. É essencial, para tanto, evitar ao máximo que se comprem produtos e serviços que foram gerados com sofrimento, exploração, violação de direitos e maus tratos.
Guilherme Carvalho - Recifense vivendo em São Paulo, biólogo, Secretário Executivo da Sociedade Vegetariana Brasileira (SVB)