27 de agosto de 2014

Pílulas para a alma (50) A felicidade não é incompatível com a razão

"Existe uma palavra grega (eudaimonia) que significa, dentre outras coisas, felicidade. A busca da felicidade era o objetivo de vida traçado por praticamente todos os filósofos da Antiguidade. Essa doutrina é conhecida como eudaimonismo (ou eudemonismo). A vida natural das pessoas seria guiada pela felicidade, pelo prazer, sem desprezar a razão. Prazer comedido, diria Lucrécio, o poeta romano (em 50 a.C.). “A natureza tornou possível para todos a felicidade, desde que saibamos usá-la” (afirmou Claudiano). A felicidade não se opõe à razão, mas é a sua finalidade natural. Segundo Aristóteles: “A felicidade é um princípio; é para alcançá-la que realizamos todos os outros atos; ela é exatamente a inspiração de nossas motivações.” A doutrina do eudaimonismo (ao lado da razão) sinaliza o caminho de desenvolvimento pleno da nossa vida. Avante!"

Luiz Flávio Gomes.